segunda-feira, fevereiro 19, 2007

57. ALEXANDRE O'NEILL

O Público, a propósito da publicação de Alexandre O'Neill, Uma Biografia Literária, de Maria Antónia Oliveira, oferece-nos na sua edição on-line um diaporama realizado sobre fotografias de O'Neill, com banda sonora que inclui um poema dito pelo próprio. É um pequeno mas interessante trabalho (bem) feito a partir de uma entrevista de Isabel Coutinho a Maria Antónia Oliveira, que saiu no último (que por acaso foi o primeiro) número do (excelente) Ipsilon. Quem não leu, pode ler em www.publico.pt Em qualquer dos casos, tenha ou não lido, o diaporama merece uma visita. E vale sempre a pena conhecer melhor o O'Neill.

Mal nos conhecemos
Inauguramos a palavra amigo!
Amigo é um sorriso
De boca em boca,
Um olhar bem limpo
Uma casa, mesmo modesta, que se oferece.
Um coração pronto a pulsar
Na nossa mão!
Amigo (recordam-se, vocês aí,
Escrupulosos detritos?)
Amigo é o contrário de inimigo!
Amigo é o erro corrigido,
Não o erro perseguido, explorado.
É a verdade partilhada, praticada.
Amigo é a solidão derrotada!
Amigo é uma grande tarefa,
Um trabalho sem fim,
Um espaço útil, um tempo fértil,
Amigo vai ser, é já uma grande festa!
Alexandre O'Neill

7 comentários:

Bandida disse...

hummmmmm... esta sopinha quentinha... de palavras, de mãos, de afectos, de festas....






B.
_________________________

Ana Paula disse...

Um poema de encher o coração! O Alexandre O'Neill vale a pena sempre. É claro que vou visitar o diaporama. É uma óptima sugestão. :)
A.P.

S. disse...

Mais uma vez obrigada pela sugestão...vou lá, já!

...isto por aqui e pela Musica do Acaso anda com uma intensidade, para a qual eu não ando preparada nos dias que correm...estou uma verdadeira esponja e lamechas!!
Leio, releio, volto ainda a ler, sinto, sofro, rio, choro...

overwhelming...

M disse...

Ora ainda bem que as minhas sopas quentinhas estão a sair bem... Reparo que os senhores andam arredados... muito lamechas para eles? Corações durões (isto sem qualquer tipo de referência a um outro, barroso de seu nome)!
Há lá melhor do que aquecer estes dias de inverno com o calor das emoções?
Enjoy. That makes me happy

Anónimo disse...

valter hugo mãe escreve-se com v.

Anónimo disse...

E tu escreves-te com um A de anónimo ou com um I de imbecil? Só sabes isso? E ficas todo contentinho de te arvorares em doutor? Se te fosses catar! OUTRO ANÓNIMO , só para chatear.

M disse...

Está bem, vai o v. Não custa repor a verdade dos factos. Obrigada.