domingo, abril 01, 2007

75. PRIMAVERA

Todos os anos ela faz isto. Ainda mal se anuncia a Primavera, ela desponta em flores. Sem dizer nada, sem exigir nada em troca. Por pura generosidade. Faz isto há anos. Nunca falha. Não é para se exibir. Não se ofende se não lhe dissermos nada, se não lhe ligarmos importância. Quanto muito poderá fazer florir mais uma haste, com a mesma generosidade e boa vontade com que nos deu esta. Pode ser que a gente repare na segunda, se por acaso ignorámos a primeira. Já chegou ao ponto de fazer florir quatro hastes numa só Primavera. Desinteressadamente. Mas, bem lá no fundo, ela sabe que lhe agradecemos e que a Primavera já não nos saberia a nada sem as suas flores. Ela sabe que num só vaso contém toda a beleza dos jardins míticos, que é imensa e deslumbrante. A única coisa que pede é um pouco de água. Mas eu pensei que ela ficaria feliz se lhe dedicasse um post. Acho que é o mínimo que posso fazer. E pronto.

6 comentários:

Arion disse...

Que espanto de orquídeas! Adoro flores brancas! :)

S. disse...

Não sei se a Prima Vera gostou...
eu gostei muito, um texto muito bonito e logo eu que não sei cuidar muito bem de flores.
Beijo primaveril!

Ana Paula disse...

Linda! Ficou feliz com o post de certeza! E eu fiquei feliz por vê-la e conhecê-la. Transmite uma imensa tranquilidade...
Adoro flores e adorei o texto. :)
Beijinhos da A.P.

alice disse...

bom dia, m. que belo tributo a uma amiga sazonal que sempre volta aos nossos sorrisos. sem ela, o mundo seria um lugar ainda mais triste. adorei as flores e as palavras. e agradeço também as suas visitas. um grande beijinho. M em flor ;)*

M disse...

arion, também eu! Obrigada.

s. A Prima ainda não se manifestou... antes chove! Eu também não sou nada boa a cuidar de flores - não sou o Petit Prince - mas esta não é nada exigente. Ainda bem que gostaste. Obrigada.

obrigada, ana paula, obrigada, alice. É bom haver coisas assim tão simples e tão disponíveis que nos dão prazer, não é? E às vezes temos tendência a passar por elas sem as ver. Fico feliz por vos ter apresentado a minha orquídea tão simplezinha
Beijinhos.

Ana Paula disse...

M., cada vez mais estou certa de que é nas coisas mais simples que se encontra a felicidade. Difícil é sermos simples. Mas a sua orquídea dá-nos uma lição com esse autêntico esplendor da sua bela simplicidade.
Desculpe este comentário algo filosófico mas é um tema que me é particularmente caro.
Beijinhos.
Ana Paula