terça-feira, abril 10, 2007

86. A POESIA HOJE


Não posso adiar o amor para outro século

não posso

ainda que o grito sufoque na garganta

ainda que o ódio estale e crepite e arda

sob montanhas cinzentas

e montanhas cinzentas


Não posso adiar este abraço

que é uma arma de dois gumes

amor e ódio


Não posso adiar

ainda que a noite pese séculos sobre as costas

e a aurora indecisa demore

não posso adiar para outro século a minha vida

nem o meu amor

nem o meu grito de libertação


Não posso adiar o coração


António Ramos Rosa

6 comentários:

Arion disse...

Obrigado por partilhares connosco este poema do Ramos Rosa!

Ana Paula disse...

Magnífico!! Um poema maior.
Um beijinho da Ana.

alice disse...

este poema tem um significado muito especial para mim. houve uma pessoa que me dedicou este verso numa carta. não queria adiar nada. foi bom e nunca esquecerei. mais uma vez, m. adorei passar aqui. um grande beijinho.

M disse...

Acho que nos faz bem tanta força e tanta determinação que tem este poema.
Fico sempre contente por poder partilhar aquilo de que gosto com as pessoas certas!

Bandida disse...

grande poeta M. !!!!!!!!!!!

enorme a poesia. tudo!!!!!!!!!!


beijossssssssssssssssss


B.
______________________

Mo disse...

ou mto me engano ou este poema já deu uma bela canção hip hop